🤯 COMO DIAGNOSTICAR UMA CRIANÇA COM TDAH?

→ Especialistas utilizam os chamados critérios diagnósticos para auxiliar de maneira complementar a confirmação do transtorno na vida da criança. Vejam a seguir quais são esses critérios de acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais 5ª edição (DSM-V)

Os critérios diagnósticos

Importante ressaltar que esse conjunto estabelecido pelo DSM-V divide o TDAH em dois grupos com o objetivo de esquematizar e facilitar a identificação dos sintomas que podem evidenciar a existência do TDAH.

→ DÉFICIT DE ATENÇÃO

  • Desatenção a detalhes e erros;

  • Dificuldade em sustentar atenção; Parece não ouvir;

  • Dificuldade com instruções, regras e prazos;

  • Desorganização;

  • Evita/reluta tarefas de esforço mental;

  • Perde, esquece objetos;

  • Alta distração;

  • Não automatiza tarefas do cotidiano.

→ HIPERATIVIDADE E IMPULSIVIDADE

  • Movimento excessivo do corpo durante postura;

  • Dificuldade em permanecer sentado;

  • Sobe, escala, exposição em perigos;

  • Acelerado para as atividades;

  • Faz tudo “a mil”;

  • Fala demais e se intromete;

  • Responde antes de concluir perguntas;

  • Dificuldade em esperar;

  • Interrompe inoportunamente.

Abordagem diagnóstica

É sempre válido lembrar que o diagnóstico do TDAH deve contar com a interdisciplinaridade. Essa diversidade é composta em sua grande maioria por profissionais de saúde e educação. No entanto, os pais exercem um papel de extrema relevância nesse processo.

Quando analisamos a abordagem diagnóstica, vemos um esquema estabelecido pelas partes envolvidas e o que elas desempenham ou ficam responsáveis. Vejam mais a seguir.

Psicólogo/Médico: anamnese, escalas de avaliação, exame complementar;

– Pais: disponibilizam o perfil comportamental e desenvolvimento; relatam a rotina de sono e os prejuízos afetivos e sociais;

– Escolas: a instituição deve fornecer relatórios referentes ao percurso do aluno; além disso, dados sobre aprendizagem e comportamento também são imprescindíveis nesse processo;

– Equipe: os especialistas ficam por conta de disponibilizar a avaliação psicognitiva e afetiva, além da presença indispensável de fonoaudiólogos e psicopedagogos.

Com ♥ Psicóloga Bruna. 

🌻

COMPARTILHE, para que chegue em pessoas que precisam desta informação!

ESTE É O TERCEIRO EPISÓDIO DA SÉRIE SOBRE TDAH.

Por | 2020-05-26T19:53:23-03:00 maio 26th, 2020|

Sobre o autor:

É Neuropsicóloga Clínica. (CRP: 08/24662). Especializada no público infantil, seu consultório fica localizado na cidade de Curitiba. Realiza consultoria online com foco na saúde da mulher e maternidade. O objetivo da neuropsicóloga é utilizar a neurociência para colaborar com a qualidade de vida do ser humano. Este que está em constante evolução.

Deixe um comentário

Open chat