Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Quando procurar um Psicólogo Infantil para meu filho?

Diferentemente de um adulto, que é capaz de expressar frustrações, medo, insegurança e tristeza verbalmente, a criança pode demonstrar que precisa de ajuda apresentando alterações em seu comportamento e até sintomas físicos. É nesse momento que os pais devem ficar atentos e ajudar seu filho a resolver os problemas. Crianças expressam seus sentimentos de forma inconsciente, essa manifestação normalmente é vinda de choros e comportamento inadequado perante a visão dos pais.

Muitos devem se perguntar se existem crianças com depressão, tristeza, ansiedade, problemas? Sim, existe! Elas também precisam de psicoterapia para encarar esse sofrimento. De uma forma lúdica, o psicólogo entra no mundo delas e consegue conectar a ciência e onde se encontra o sofrimento psíquico.

A Psicologia infantil e a sua prática

Após uma entrevista com os pais da criança, no qual se especula eventuais traumas ou dificuldades vivenciadas pela família, o psicólogo inicia a psicoterapia através de recursos lúdicos e brincadeiras.

O profissional capacitado na área de psicologia entende a forma como a criança se expressa,  expões seus sentimentos e, estabelece o período de tratamento que julgar necessário. Em alguns casos os pais da criança também deverão passar por sessões de psicoterapia, para receber orientações.

Muitos pais são chamados de forma frequente na escola por causa da hiperatividade dos filhos. Outros devido ao fato de que a criança não consegue se concentrar. Há também quem perceba ainda em casa uma falta de interação da criança.

É possível que a consulta seja proveitosa mesmo que seja para garantir que a criança não precisa de tratamento. Mas se você está na dúvida sobre se deve levar ou não seu filho a um psicólogo infantil, confira alguns indícios de que a criança precisa de ajuda profissional:

Quando levar a um psicólogo infantil?

1) Tristeza, excesso de choro

Crianças, geralmente, são cheias de vivacidade. Quando elas passam a chorar muito, a ficar quietas, a parecer meio tristes, é preciso conversar para saber o que não vai bem.

2)  Distúrbios físicos

Problemas na alimentação, no controle intestinal e no sono são comuns em crianças pequenas, de até cinco ou seis anos, que estão passando por problemas. Voltar a fazer xixi na cama todo dia, depois de ter aprendido a controlar há um bom tempo, também é um sinal. Em crianças mais velhas, esses distúrbios podem ocorrer e serem acompanhados de irritabilidade, agitação, ansiedade.

3) Fica doente com muita frequência

Ficar doente frequentemente também é um sintoma corporal que precisa ser avaliado com mais cuidado pelos pais. Quando algo não vai bem na mente, não vai bem em lugar algum. Como as crianças não conseguem expressar de forma verbal, esse sofrimento se manifesta no físico.

4) Compulsão na comida

Passar a comer compulsivamente é outro indício de que a criança pode dar de que algo não vai bem emocionalmente. Considera-se um escape de sofrimento psíquico.

5) Dificuldade de interagir socialmente

Uma das causas mais comuns que levam os pais a recorrer a um psicólogo infantil é a falta de interação social que a criança pode apresentar. Ainda que muitas vezes em forma de timidez, o agravamento do quadro – em forma de problemas de comunicação verbal, interação social e criatividade – deve ser analisado. Além disso, outras características, como, por exemplo, a preferência por comidas pastosas e problemas com a textura e o cheiro dos alimentos, também devem ser levados em consideração e relatados ao médico.

6) Intolerância e agressividade

Crianças que tendem a fazer birra por tudo o que querem e que não lidam bem com o não, não necessariamente possuem algum distúrbio psicológico. No entanto, o psicólogo infantil pode auxiliar a detectar onde está o erro. Mas é bom se preparar: muitas vezes, a conclusão profissional é de que a falha está nos pais e na cultura de compensação. Os filhos tendem a ser reflexo de sua criação. Por isso, esteja preparado para receber orientações relacionadas ao seu comportamento que irão mudar o comportamento da criança.

7) Agitação e falta de concentração

A agitação frequente da criança deve ser investigada por um psicólogo infantil. Isso porque é frequente que muitos educadores apontem imediatamente para TDAH, sugerindo interferência medicamentosa nem sempre necessária. Com a avaliação Neuropsicológica aplicada pelo profissional, e diagnóstico em mãos, pode-se seguir o melhor tratamento.

8)  Dificuldade de aprendizagem

É normal que nem todas as crianças aprendam na mesma velocidade e da mesma forma. Algumas aprendem a ler na escola, enquanto outras desenvolvem esta capacidade desde muito pequenas. Mas isto não significa que você não deva ficar atenta à aprendizagem de seu filho. Se ele tem muita dificuldade para desenvolver alguma atividade lógica ou demora muito para assimilar algum conteúdo, pode ser hora de procurar ajuda.

Muitas vezes o apoio e a compreensão da família é suporte suficiente para a solução de casos comuns de tristeza, apreensão ou angústia, mas quando o transtorno emocional não é superado naturalmente, se faz necessária a intervenção de um psicólogo que possa melhorar a qualidade de vida emocional dessas pessoas.

No caso das crianças, a escola muitas vezes é a primeira a indicar a psicoterapia como auxílio aos pais, devido ao baixo rendimento escolar da criança, incontinência urinária, agressividade,  tristeza, dificuldade motora, atraso na fala e,  outras evidências embora, somente o psicólogo possa identificar a necessidade da intervenção profissional.

O que os pais devem se perguntar antes de levar ao Psicólogo?

  • O novo comportamento da criança prejudica seu dia a dia e suas relações pessoais?

  • O desempenho escolar piorou por causa desse comportamento?

  • Há quanto tempo o comportamento se manifestou?

  • Aconteceu algo na família ou na escola que possa ter motivado esse novo comportamento?

  • Os pais já tentaram ajudar e não conseguiram?

  • Se a maioria das respostas for SIM! Procure ajuda.

Os benefícios do tratamento psicológico infantil são muitos, além da promoção da saúde mental, menciona o alívio da ansiedade e das situações que causam desconforto na criança. São essas crianças que dominarão o futuro, desde já vamos criar crianças saudáveis e de bem com a vida, desta forma as chances de um mundo melhor só aumenta.

“CRIANÇAS EMOCIONALMENTE INTELIGENTES, ADULTOS TRANQUILOS E UM MUNDO MELHOR”

Por | 2018-10-03T16:11:10+00:00 julho 19th, 2018|

Sobre o autor:

É Neuropsicóloga Clínica. (CRP: 08/24662). Especializada no público infantil, seu consultório fica localizado na cidade de Curitiba. Realiza consultoria online com foco na saúde da mulher e maternidade. O objetivo da neuropsicóloga é utilizar a neurociência para colaborar com a qualidade de vida do ser humano. Este que está em constante evolução.

Deixe um comentário